Já falamos em conteúdos anteriores sobre a importância da escolha das cores, mas se falamos de design ou diagramação, a escolha da fonte também é algo que não pode ficar de lado e na maioria das vezes o conjunto de fontes utilizado no seu design pode representar um lugar de destaque na sua arte.


Da mesma forma que as cores, as fontes possuem o poder de criar associações mentais e provocar respostas em uma determinada marca.

Cada fonte possui suas características próprias, bem como suas vantagens e desvantagens e seus significados psicológicos.


Embora existam milhares de fontes hoje em dia, é possível categorizá-las em cinco grupos principais. Como citado acima, cada uma delas possui uma característica específica e com isso a forma como é trabalhada vai desempenhar um papel muito importante em seu significado, o que vai caracterizar o impacto que o seu layout final vai causar no seu público de interesse.

Então aqui vai a lista dos principais grupos de fontes que vai ajudar e muito em seus layouts:

  • Fontes Serifadas:

Conhecidas como um estilo de fonte mais antigo por aparecerem no final do século XV, a palavra “serifa” se refere aos pés que normalmente aparecem na parte superior ou inferior das letras. Esses floreios originam-se dos pincéis dos artistas que utilizavam esse recurso com o objetivo de decorar as letras.

Caracterizada por ter um aspecto mais conservador, são populares em empresas que buscam representar elegância e sofisticação, além disso são ideais para comunicar autoridade e grandeza, sendo comum o seu uso em áreas acadêmicas, financeiras e editoriais.

  • Fontes não Serifadas:

Dispensando o uso dos floreios de sua antecessora, as fontes não serifadas possuem uma abordagem mais limpa e moderna. Definidas por suas linhas retas e simples, enfatizam sua legibilidade e simplicidade em busca de um visual mais dimensionável e podem representar um layout que preza pela clareza, porém pode ser ousada e usada para chamar a atenção com um design fino e eficiente.

As empresas que buscam pelo uso dessa fonte trabalha honestidade e sensibilidade sem necessidade de firulas

  • Fontes Serifadas Egípcias:

Considerada como uma variante da fonte serifada tradicional, as fontes serifadas egípcias possuem um caráter sólido, arrojado e são ideais para marcas modernas.

Com um visual chamativo, elas transmitem confiança, segurança e um ar criativo. São indicadas também para empresas que querem comunicar suas ideias e produtos inovadores, pois podem comunicar importância e senso de necessidade.

  • Fontes decorativas:

Conhecidas pelo seu corpo único e atraente, podem ser utilizadas por vários setores e necessidades, pois normalmente são criadas de forma personalizada para empresas específicas.

Sendo raramente usadas em longas sequências de textos, transmitem singularidade e originalidade. Desencadeando informalidade, diversão e pensamentos criativos, elas podem ser combinadas com diferentes estilos de fontes.

  • Fontes Caligráficas:

Esse estilo de fonte, conhecido por enfatizar o visual cursivo natural, evoca uma ideia de elegância, criatividade e até mesmo feminilidade. Suas curvas e floreados também podem comunicar um tom comercial prático e pessoal.

São indicadas para quem quer passar uma sensação singular e artística, porém é recomendado que se faça o uso desse estilo com moderação, já que seu estilo pode afetar a legibilidade e transformar sinais em palavras ou prejudicar a leitura de algumas palavras.

Com dúvidas sobre qual estilo de fonte utilizar nos seus materiais? Envie sua ideia para nossa equipe! Gráfica & Cia, você tem ideias, nós executamos!

Quando pensamos em eventos corporativos, feiras de exposição e workshops, uma das primeiras coisas que pensamos é em fazer network para se conectar com outros profissionais de determinado setor que julgamos ser interessantes.

Em cenários como esses, a troca de cartões de visitas é muito comum e funcional e em muitas das vezes pode ser a primeira representação visual da sua empresa. Ao receber um cartão de visitas, a primeira coisa a ser notada é o visual, o layout. E é inevitável comunicar a imagem do seu negócio a partir desse material. 

Quando vemos um cartão bonito e bem feito, é fácil notar profissionalismo e qualidade, por isso separamos algumas dicas que caracterizam um bom cartão de visitas e que chama a atenção:

  • Defina o tamanho desse material: Pode parecer básico, mas às vezes o excesso de criatividade pode encobrir a funcionalidade, pois se você fizer um cartão que não cabe no bolso ou em uma carteira, perde-se o sentido do mesmo.

    Aqui é interessante destacar que os elementos devem estar em tamanho adequado e as informações de contato devem estar claras para transmitir um equilíbrio visual e não prejudicar a elegância do material.
  • Transmita uma mensagem: A aparência sempre comunica algo e se sua empresa atua em um ramo de glamour, padrão elevado ou luxo, o layout do seu cartão deve passar essa mensagem.
  • Pode parecer clichê, mas menos, é mais: é importante ser objetivo trabalhando com as informações que de fato são importantes, é comum vermos o nome, cargo, contato de WhatsApp, e-mail, endereço de site e redes sociais.
  • Ter um bom logo, seguir uma identidade visual, cuidado no uso das cores, são fatores de grande relevância na hora do desenvolvimento de um cartão de visitas, além disso o uso de uma gráfica de qualidade e bons acabamentos também não devem ficar de lado e quando trabalhamos esses elementos de forma estratégica e sutil é possível valorizar bastante o seu cartão trazendo elegância e um ar de profissionalismo.

E você? Também quer um cartão de visitas que chame atenção? Aqui na Gráfica & Cia você confere o cartão de visitas BOPP com acabamento em verniz localizado que a sua empresa precisa. Então não perca mais tempo e peça já o seu!

As cores podem representar vários significados, elas possuem um poder de influenciar psicologicamente na percepção das pessoas.

Quando fazemos a leitura de alguma marca, material, ou algum objeto, a primeira coisa que observamos é a cor.

Tendo isso em mente, a decisão sobre qual cor vamos utilizar na criação de um material gráfico é algo muito sério quando você é um designer e está em processo criativo de algum documento ou material ou até mesmo se você está projetando uma ideia para uma possível produção gráfica.

As cores são divididas em cores quentes, como no caso o vermelho, o amarelo que são cores mais calorosas, e existem também as cores frias que são cores mais ligadas ao azul, ao branco, ou cinza. Essas cores possuem uma característica mais calma, mais tênue ou mais séria.

A partir daí, entendemos um pouco melhor o significado que algumas cores representam, por exemplo, as cores quentes são cores mais animadas, que remetem à agitação, ou interação. Já as cores frias são cores mais frescas, que remetem ao equilíbrio, ou seriedade.

Outro fator que não podemos deixar de lado é que mesmo com essas divisões de cores, existe a tonalidade, ou seja, as cores podem ser escuras, que vão remeter à seriedade, autoridade, formalidade, força e credibilidade. Já as cores claras representam mais descontração, casualidade e até mesmo representar uma maior abertura.

E quando estamos diante da criação de algum material, precisamos pensar nesses significados, pois podem parecer pequenas escolhas, mas às vezes não conseguimos imaginar o impacto que vai trazer no leitor e é importante que a decisão da cor esteja intrinsecamente ligado com o objetivo que você quer provocar no leitor.

E aí? Está com uma ideia em mente, mas ainda com dúvidas sobre qual cor utilizar em seu

material? Entre em contato conosco, a gente ajuda nessa decisão!